quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Egito Antigo



1. Observe o mapa:
a) Qual a importância do Rio Nilo para a Civilização Egípcia antiga?
b) Cite o nome de algumas cidades do Egito.




2. Observe as imagens abaixo e responda:
a) O que eram as pirâmides?
b) Quais os compartimentos internos de uma grande pirâmide?
c) Por que elas eram saqueadas/roubadas?








3. Como eram as pinturas egípcias? O que eles retratavam?






4. Como era chamada a escrita sagrada egípcia? O que eles registravam, anotavam? Quem realizava esse trabalho?





Templo de Hatshepsut


Múmia de Hatshepsut


Hatshepsut


Nefertiti


5. Mulheres como Hatshepsut, Nefertiti, entre outras, chegaram a assumir o reinado egípcio. Escreva sobre o papel da mulher na sociedade egípcia.


Faraó Akhenaton


Faraó Tutancâmon


Faraó Tuthmosis


6. Quem era o faraó? Quais os seus poderes?


Múmia egípcia


Múmia de Ramsés


7. Por que os egípcios mumificavam os mortos? Qual a relação entre o processo de mumificação e a crença religiosa?


Deus Anubis


Tribunal de Osíris


8. De acordo com as imagens acima e com o que já estudamos, o que podemos concluir sobre a religiosidade egípcia? Como os egípcios representavam seus deuses?


9. Observe a imagem abaixo e responda: Quem formava a maioria da população no Egito Antigo? Que trabalhos realizavam?



Mulheres nobres


10. Veja a imagem das mulheres nobres no Egito. Atualmente, quais os papéis da mulher na nossa sociedade?

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Crise do Sistema Feudal

Vídeos

http://www.youtube.com/watch?v=Nl7uAiwNb4Q

http://www.youtube.com/watch?v=1Ax3bLJetrY

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Trabalho Missões Jesuíticas

Além das instruções básicas: introdução, desenvolvimento, conclusão e referências bibliográficas, a avaliação levará em consideração:

- O contexto histórico das Missões Jesuíticas no RS, destacando especialmente:
- Características do projeto missioneiro.
- Atuação dos Jesuítas.
- Os Sete Povos das Missões.
- Ênsase ao povo de São Miguel.
- Sensibilidades de jesuítas e indígenas (medos, crenças, comportamentos, desejos, anseios).
- Contato e interação cultural.

Pesquisar também em livros na biblioteca da escola e na internet.

Bom trabalho!

domingo, 27 de setembro de 2009

A METÁFORA DO PRECONCEITO E AS CONOTAÇÕES DA PALAVRA "NEGRO"


Será que isso é “coisa de pele”?

Em uma sociedade preconceituosa, o negro é visto como ser inferior, primitivo, retardado, delinqüente, perverso, desonesto, tolo, possuidor de maus instintos, sujo, irresponsável, preguiçoso, incapaz, etc. Esses preconceitos tornam-se traços semânticos das palavras preto/negro que vão sendo reproduzidos em inúmeras metáforas que utilizam essa cor.

As metáforas que utilizam signos que representam a cor negra, introjetam inconscientemente até mesmo no falante de afro-descendência o preconceito racial/social. Essas metáforas fazem parte de nosso sistema conceitual e seu uso intenso faz com que o falante incorpore, e passe a considerar como seus, os valores preconceituosos que permeiam a linguagem.

A interpretação da metáfora está ligada às idéias de denotação e conotação, ou seja, à significação com valor REFERENCIAL e à significação associada a valor EMOCIONAL. Assim:

“O dia hoje está negro” teria como sentido denotativo um dia sem sol, com nuvens escuras e como sentido conotativo ou metafórico, um dia cheio de problemas, aborrecimentos ou tensões.

“Ele é um negro de alma branca” está produzindo um enunciado falso, pois não se atribui cor à alma. No entanto, a intenção da metáfora é dizer outra coisa, como, por exemplo, "ele é um negro que possui qualidades próprias das pessoas brancas".

"A situação está preta", descreve uma idéia real, mostra que alguma coisa não está bem, está adversa, ruim, etc. A idéia implícita "negro é ruim, adverso", no entanto, é falsa, preconceituosa, introjetada em nossas mentes, como se fosse um atributo da palavra negro.

“Isso é trabalho pra negro” enfatiza-se aí a escravidão, a desigualdade, a exclusão e o racismo através da palavra negro.

“O diabo não é tão preto como se pinta” associa a palavra preto à figura e ao comportamento demoníaco.

“A fome é negra” utiliza a palavra "negro" para enfatizar o desespero e a desolação com o problema da fome.

Vocabulário que carrega preconceitos

câmbio negro: comércio ou transação ilegal.

mercado negro ou câmbio negro: comércio ilegal.

prejuízo preto: prejuízo imenso.

caixa-preta: falta de transparência.

lista negra: relação de coisas ou pessoas consideradas prejudiciais.

humor negro: humor que choca pelo uso de elementos mórbidos ou macabros

magia negra: bruxaria.

peste negra: doença que assolou a Europa na Idade Média.

ovelha negra: pessoa ou entidade que se destaca pelo mau procedimento.

besta negra: inimigo, problema de difícil solução.

asa negra: pessoa que prejudica ou embaraça um grupo com freqüência.

língua negra: vala que despeja esgoto no litoral ou nos mananciais.

mancha negra: vergonha.

lado negro: lado ruim, negativo.

Texto integralmente extraído de:
http://www.uniblog.com.br/nacoeseaculturadacor/87446/a-metafora-do-preconceito-e-as-conotacoes-da-palavra-negro.html

Candomblé, religião de resistência

http://www.youtube.com/watch?v=BZE4zKyGXaE&eurl=http%3A%2F%2Fwww%2Erosanevolpatto%2Etrd%2Ebr%2Ffestacandomble1%2Ehtm&feature=player_embedded#t=12

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Mitos gregos

Estudantes...

Mitos gregos sintetizados podem ser encontrados em:

http://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/mitologia/index-mitologia-grega.php

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Religião e Mitologia grega

A religião grega era politeísta, tal como a grande maioria dos povos da antiguidade. O mais importante deus grego era Zeus, qu vivia com outros deuses no Monte Olimpo. Havia também semideuses, fruto do relacionamento dos deuses com humanos.
Os relatos sobre deuses são encontrados em forma de mitos, narrativas com caráter explicativo e simbólico, relacionadas com a cultura e a religião.
A função do mito era ensinar as noções de virtude e valores aos homens.
As histórias míticas tratam de modelos e geralmente referem-se às origens das tradições.
Para os gregos, os deuses interferiam na vida dos homens, comandando a natureza, participando da vida de cada ser humano, zangando-se, premiando, retribuindo, etc.
Outras entidades mitológicas também estavam presentes no cotidiano dos humanos: ninfas, monstros, sereias...
A mitologia também explicava a origem do Universo: no começo havia o Caos (Vazio), do qual saem Urano (Céu) e Gaia (Terra) e de sua união surgem os Titãs. De todos os Titãs o mais importante foi Cronos (Tempo).


Zeus
Deus do Céu
Habita o monte Olimpo e é o mais importante da tradição grega.



Hera
Deusa do Casamento
Esposa de Zeus, muito ciumenta.


Poseidon
Deus do Mar
Habita o fundo do mar, era admirado pelos gregos que eram grandes navegadores.



Hades
Deus do Mundo dos mortos
Irmão de Zeus, administra o mundo dos mortos.


















Deméter
Deusa das Colheitas agrícolas
Deusa loira associada à maternidade.



Atena
Deusa da Sabedoria
Filha predileta de Zeus e significa sabedoria e coragem.



Apolo
Deus do Sol e das artes
Possuidor do dom da juventude, é muito belo.



Ártemis
Deusa da Caça
Irmã gêmea de Apolo, recebeu de Zeus o arco e a flecha para proteger os bosques.



Hefesto
Deus do Fogo
Hábil trabalhador manual e ferreiro.



Ares
Deus da Guerra
Venerado em tempos de guerra.


Dionísio
Deus do Vinho
Criativo, sedutor.



Hermes
Deus do Comércio e da comunicação
Mensageiro dos deuses, muito ágil.



Afrodite
Deusa do Amor e da beleza
Bela e esperta.


Roteiro de estudo.
1. O que é uma religião politeísta?
2. O que são mitos?
3. Qual a função do mito?
4. Para os gregos, qual a relação dos deuses com os humanos?
5. Explique a origem do universo segundo a mitologia grega.
6. Qual dos deuses você mais se identificou?
7. Desenhe um deus em uma folha e pesquisa mais características a seu respeito.
8. O que são os Titãs? Pesquise a respeito.


Referências bibliográficas:
FUNARI, P. Grécia e Roma.
NETO, J. e TASINAFO, C. História Geral e do Brasil.

Vídeo - Idade Média

http://www.youtube.com/watch?v=UjGbxdeGJiQ

domingo, 19 de abril de 2009

Imagens da Idade Média

Observe as imagens e analise-as conforme instruções / solicitações:



1. Que elementos da sociedade medieval você consegue perceber nesta imagem?







2. As imagens acima mostram um mosteiro e alguns monges. O que faziam os monges?




3. O que os servos estão fazendo? Quais eram as atividades desempenhadas pelos servos, além do trabalho agrícola?







4. A partir das duas imagens acima, discorra sobre a alimentação da população medieval.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Cidades-estados gregas: Esparta e Atenas

As Pólis eram conhecidas como cidades-Estados, porque eram como cidades mas cada uma tinha tanto poder, que até parecia um país.
Duas Pólis se destacaram: Atenas e Esparta…



Esparta
Esparta era cercada de montanhas, numa área de difícil acesso. A sociedade era muito guerreira. Todos os homens eram treinados e se tornaram os melhores e mais disciplinados soldados da Grécia. Os espartanos tinham leis muito rígidas, dois reis para governar e eram os grandes rivais de Atenas.

Esparta foi fundada pelos dórios, que conseguiram dominar os aqueus e se apossaram de suas terras. Cercada por montanhas, não tinha saída para o mar. Assim, não desenvolveu o comércio e a navegação.
A sociedade estava dividida em três grupos sociais:
Esparciatas - guerreiros, descendentes dos dórios. Eram a camada dominante, detentora das terras e possuía direitos políticos.
Periecos - os aqueus que nao resistiram aos invasores. Eram homens livres, mas sem direitos políticos. Atuavam como camponeses, artesãos e comerciantes. Em época de guerra, eram convocados para o serviço militar.
Hilotas - a maioria da população. Eram servos do Estado e trabalhavam nas terras dos esparciatas.
Os hilotas tinham vida miserável, estavam expostos à violência, exerciam várias atividades e revoltavam-se com frequência.



A organização do poder político era feita de maneira a manter os privilégios da camada dominante. Os principais órgãos políticos eram:
Diarquia - formada por dois reis.
Gerúsia - era o conselho dos anciãos, composta por pessoas com mais de 60 anos que fiscalizavam e administravam os assuntos do governo.
Ápela - uma assembléia popular formada por cidadãos com mais de 30 anos.


Atenas
Atenas estava localizada perto do mar. Por isso, era um dos principais centros exportadores da Grécia. Esta pólis era poderosa, ficou muito rica… mas a quantidade de escravos crescia e lutava por mais direitos.



Localizada na Ática, nas proximidades do mar Egeu, formou-se com o ajuntamento de tribos jônicas. Desenvolvia o artesanato e o comércio.
A sociedade era formada pelas seguintes camadas:
Eupátridas - os 'bem nascidos', tinham privilégios, eram os grandes proprietários de terras.
Geomores - pequenos proprietários de terras.
Demiurgos - comerciantes e artesãos.
Metecos - eran os estrangeiros que moravam em Atenas e se dedicavam ao comércio e ao artesanato.
Escravos - prisioneiros de guerra e pessoas condenadas por dívidas.
A vida do escravo eram muito difícil. Alguns trabalhavam nas minas de prata, outros nas atividades domésticas e até mesmo na prostituição. As fugas eram frequentes.

A organização do poder se dava com um rei intitulado basileus. A monarquia foi a primeira forma de governo. Aos poucos, os eupátridas passaram a limitar o poder do rei.

Aos poucos, artesãos e comerciantes enriqueceram e passaram a reivindicar participação política. Daí, houve confronto entre os grupos sociais e para resolvê-las foi necessário algumas reformas. Essa é outra história.



Atividades:

1. Compare Esparta e Atenas, destacando:
a) O processo de formação das cidades.
b) A organização do poder.
c) A divisão dos grupos sociais.
d) O tratamento dado aos escravos.


2. O que Esparta e Atenas tinham de comum? O que tinham de diferente?



Referências:
MOCELIN, Renato e CAMARGO, Rosiane. Passaporte para a história.
ORDONEZ, Marelene. História. Antiguidade e Período medieval.
SANTIAGO, Pedro. Por dentro da história.

sábado, 14 de março de 2009

Grécia Antiga - Período Homérico

A Grécia é uma península banhada por três mares: mar Jônico, mar Egeu e mar Mediterrâneo. Tem a leste a Ásia Menor (atual Turquia). O litoral grego é muito recortado, formando portos naturais. Os mares que circundam a Grécia são pontilhados de ilhas e ilhotas famosas pela sua beleza natural.



Era uma região diferente daquelas habitadas pelos povos orientais que viviam em férteis planícies às margens dos grandes rios, ao passo que os gregos que ocupavam uma área muito montanhosa, tinham que trabalhar duramente um solo pobre e pedregoso para conseguir sua agricultura de subsistência.
Devido à pobreza da terra, nas pequenas áreas cultivadas formavam-se agrupamentos humanos (pequenas comunidades) separadas uma das outras por vários acidentes geográficos


Os dórios transformam a Grécia Antiga

A chegada dos dórios no século XII a.C. provocou a desestruturação dos povoados e espaços urbanos da Grécia Antiga, com o enfraquecimento do comércio, o fim do uso da escrita e a fuga da população para regiões distantes. A sociedade da Grécia Antiga passou a apresentar, então, fortes características rurais, caracterizando-se o início do período Homérico, que se estendeu até o século VIII a.C.
A base da organização da sociedade eram as unidades familiares, denominadas genos, cada qual liderada por um patriarca, que desempenhava funções de sacerdote, juiz e chefe militar e cujo poder era transmitido hereditariamente do pai para o filho mais velho.
Os membros de cada genos cultuavam um ancestral comum, em geral considerado descendente dos deuses ou heróis. A terra, os equipamentos e todos os bens produzidos pertenciam à comunidade. A subsistência era garantida por uma produção que envolvia a maior parte dos integrantes dos genos, sob a liderança do patriarca.



O período Homérico recebe este nome devido à grande importância cultural que teve o poeta Homero, ao descrever os acontecimentos da época em suas duas grandes obras: a Ilíada e a Odisséia. O nome "Ilíada" veio da palavra Ilion, que em grego significa Tróia. Temos, assim, a história da Guerra de Tróia. Já o nome "Odisséia" vem da palavra Odisseu que em grego significa Ulisses. Essa obra conta as aventuras de Ulisses, ao voltar à sua terra natal após a eclosão da Guerra de Tróia. É justamente nesse período que começa a divisão dos grupos familiares na Grécia Antiga. As famílias que tinham um descendente comum formavam um clã denominado geno Estes se aglomeravam, formando as fratrias que, unidas geravam as tribos. Quando algumas tribos se aliavam, geralmente pela ameaça de um inimigo comum, era criada uma cidade-estado.



Com a fragmentação dos genos, surgiram as classes e desigualdades sociais e ainda dois problemas vieram à tona: primeiro a dispersão da população por outras áreas da Ásia menor e a formação de uma oligarquia da aristocracia rural. Essas mudanças dão fim ao período homérico da história grega.


Reflexão:
1. Veja a imagem do Cavalo de Tróia. O que você sabe sobre a Guerra de Tróia?
2. Explique as principais características do período Homérico.
3. Explique por que o livro 'Odisséia' é considerado uma das principais evidências históricas do período Homérico.
4. Diga quem foi Homero.
5. Observe o mapa. Diga o nome de três mares que banham a Grécia.
6. Quem liderava o genos?
7. Quais as consequencias da fragmentação dos genos?

Referências:
SANTIAGO, Pedro. Por dentro da História.
http://www.mundoeducacao.com.br/historiageral/periodo-homerico.htm
http://www.waibson.com.br/images/MundoGrego.jpg

Viagens no passado e no presente. Trabalho de Pesquisa

Durante a época do Renascimento, das Grandes Nevegações, as pessoas adoravam ouvir histórias e relatos de viagens.



Pesquise:
1. Quem foi Marco Pólo?
2. Que viagens ele fez?
3. O que ele relatou?
4. Quais os efeitos/impactos dos seus relatos sobre os europeus?



Atualmente existem algumas revistas e livros que contém relatos de viagens realizadas por pessoas comuns, jornalistas, pesquisadores, turistas, etc.
a. Cite o nome de pelo menos duas publicações nesse sentido (revista, livro).
b. O que essas publicações relatam?
c. Encontre e relate uma descrição de viagem inusitada, diferente, que chamou sua atenção.
d. Por que as pessoas se interessam por esse tipo de relato hoje?